As cada vez mais evidentes redes de pedofilia das elites

18-09-2020 16:05
                                 
 

Tivemos o escândalo “pizzagate” e os seus mal contados, logo após, o caso de abuso sexual de menores que envolveu o milionário Jefrey Epstein com seus contornos nebulosos que envolviam as elites mundiais (tema já por nós aqui abordado (1)), e mais recentemente assistimos também a um caso sinistro e macabro envolvendo mais uma companhia americana.

 

O escândalo Wayfair

 
A varejista Wayfair, uma empresa americana de comércio online de móveis e utensílios domésticos, viu-se recentemente envolvida numa polémica macabra depois que usuários encontram ‘links’ com nomes de crianças desaparecidas com produtos caríssimos da empresa postos À VENDA. A Wayfair foi forçada a negar rumores bizarros de que seus ‘armários e travesseiros supercaros’ eram uma fachada para comércio e tráfico de crianças desaparecidas. Os nomes de alguns dos produtos são os mesmos nomes de crianças desaparecidas. Desde então, a empresa removeu as imagens dos produtos do site e disse que pretende renomear os produtos.
Pessoas nas mídias sociais começaram a conectar uma série de estranhas coincidências para chegar ao ponto de dizer que a empresa está ligada ao tráfico de crianças desaparecidas, e os exorbitantes preços de suas mercadorias seriam o preço a ser pago pelas crianças, uma acusação que o varejista negou. As pessoas ficaram desconfiadas depois de perceberem que os móveis da “Coleção WFX”, que inclui armários de armazenamento e travesseiros comuns, listados como produtos no site com o nome das crianças desaparecidas, eram vendidos a um preço absurdo e exorbitante.
 
 
 
Por exemplo, o site aparentemente possuia um comum armário de armazenamento “Alyvia” ao preço de US$ 12.699, mas o que mais chamava a atenção era o preço de um travesseiro [preço normal US$ 30,00] decorativo “Dunston” e uma cortina de chuveiro “Drayton” por… pasmem, US$ 9.999, cada um entre vários outros produtos com preços similares abusivos e rotulados sob um vendedor chamado Bungalow Rose.
 
Muitos usuários do Twitter disseram acreditar que os produtos eram usados ​​como fachada para o tráfico de crianças desaparecidas. Desde então, as listagens foram removidas do site da empresa, mas não antes que os usuários fizessem capturas de tela das páginas das “ofertas” das mercadorias com preços absurdos.
Uma das descrições dos itens também mencionava estranhamente “Não é necessário passaporte”, e isso para comprar um singelo travesseiro ???? ...que custa “somente US$ 19.998,00".
E muitos fizeram suas próprias investigações e descobriram que a maioria dos nomes mencionados nos caríssimos produtos Wayfair eram nomes de crianças que desapareceram recentemente:
 
Além disso, os usuários disseram que, quando inseriram os códigos SKU [SKU é a sigla para Stock Keeping Unit, algo que pode ser traduzido como “Unidade de Controle de Estoque”. Ele nada mais é que um código de identificação única para produtos à venda] de alguns dos produtos ofertados mencionados acima na “coleção WFX” no mecanismo de busca russo Yandex, os resultados da busca revelaram fotos de meninas jovens.
 

Conexões para Centros de Detenção de Crianças

 
Em 2018, houve relatos de que o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA havia perdido o controle de quase 1.500 crianças imigrantesAs crianças desapareceram dos centros de detenção depois de serem colocadas com patrocinadores, levantando preocupações de que poderiam acabar com traficantes de seres humanos, segundo o New York Times .
No ano passado, mais de 500 funcionários da Wayfair fizeram uma paralisação da empresa depois que foi revelado que ela estava lucrando com a venda de camas para centros de detenção infantil que mantinham crianças migrantes ao longo da fronteira sul dos EUA com o México.  Os manifestantes pediram à Wayfair que deixasse de negociar com o BCFS, um empreiteiro governamental que administra os campos, onde centenas de milhares de crianças migrantes são detidas e maltratadas.
 

Wayfair nega as alegações

Em uma declaração obtida pelo International Business Times, a Wayfair refutou as alegações e explicou o motivo por trás dos exorbitantes preços dos produtos. “É claro que não há verdade nessas alegações”, disse o porta-voz da empresa em comunicado por e-mail. “Os produtos em questão são armários de classe industrial com preços precisos. Reconhecendo que as fotos e descrições fornecidas pelo fornecedor não explicam adequadamente o alto preço, removemos temporariamente os produtos do local para renomeá-los e fornecer mais informações. descrição detalhada e fotos que descrevem com precisão o produto para esclarecer o preço pedido”.
Como é óbvio eles jamais iriam assumir se estivessem envolvidos em algo tão macabro e sinistro, mas a verdade é que só o que foi tornado público já é por demais doentio e merecia uma investigação sem precedentes. Mas infelizmente estas redes são geridas pelos maiores multimilionários mundiais satanistas e tudo que se vai sabendo é fruto da investigação e divulgação de particulares. Tanto assim é que este tipo de notícia deveria ser abertura de qualquer jornal informativo do mundo, mas o que vemos? Pouco, ou mesmo NADA!
E importa ainda referir que quando pesquisamos nos verificadores de fatos agora tão em voga (supostamente independentes mas financiados pelas elites ou pertencentes aos grandes grupos de midia), o veredicto é...Falso. E porquê? Simplesmente porque a Wayfair o diz...seria cómico se não fosse trágico.

 Avicii, Chester Bennington, Anthony Bourdain e Chris Cornell. Supostamente todos cometeram "suicídio", mas existem também rumores que eles estavam sim cientes sobre redes de pedofilia ministradas pelas elites e antes que pudessem falar foram definitivamente silenciados...

 

Relembro que mesmo o caso Epstein foi durante anos abafado pelos governos e autoridades, e só pelo acumular de denúncias das vítimas algo teve que ser feito. Mas ainda assim o mundo assobia para o lado como se nada demais se tivesse passado, ainda que várias personagens das elites tenham os seus nomes referenciados no processo, mas continuem impunemente em liberdade.
 

 O Vaticano é também sabido estar cheio de pedófilos, pois bem, será coincidência que em alguns dos seus materiais liturgicos apareçam simbolos que apontam para a identificação de pedófilos? Veja link que remete para documento do FBI que expõe estes símbolos (2).

 
E se você tem dúvidas mesmo depois de ver o nojo negro exposto acima, quer se iludir e achar que tudo isto são apenas brincadeiras de mau gosto ou teorias da conspiração, nós o convidamos a assistir ao vídeo no final desta matéria e ver como um mundo das elites satânicas de abuso de crianças é totalmente real. Atenção o vídeo é extremamente perturbador, mas a prova cabal de que este mundo sinistro é real e que as autoridades fazem vista grossa a redes declaradas de pedofilia que se escondem por trás de grandes nomes e corporações.
Nestas situações, o silêncio é pactuar com o crime!
 

Saiba mais sobre este caso:

Wayfair e o tráfico de crianças? O buraco do coelho vai fundo.

vigilantcitizen.com/vigilantreport/wayfair-and-child-trafficking-the-rabbit-hole-goes-deep/

 
 

Referências:

 

(1) Caso Jeffrey Epstein – Mossad, redes de pedofilia e queima de arquivo das elites

http://www.nunes3373.com/news/caso-jeffrey-epstein-mossad-redes-de-pedofilia-e-queima-de-arquivo-das-elites/

 

(2) Arquivo: FBI-pedophile-symbols-page1.jpg

www.wikileaks.org/wiki/File:FBI-pedophile-symbols-page1.jpg