Evidências e paradoxos que destroem os milhões de anos propostos pelos evolucionistas - Parte 1 - Terra

02-08-2015 18:57

                                

Voltando aos nossos artigos de cariz científico abordaremos hoje algo que é dado pela "ciência" secularista como fato, mas se pararmos para questionar algumas evidências veremos o quão frágil é essa sua certeza.

Milhares ou milhões?

Em qualquer artigo dito científico na mídia vemos datações na casa dos milhões de anos, seja para datar fósseis, artefactos antigos, etc, mas raramente vemos qual foi o método de datação utilizado. Isto é feito para que os críticos não possam mostrar o quão falível pode ser esse método utlizado e infelizmente a generalidade das pessoas tende a acreditar na mídia sem sequer questionar, pelo que tal estratégia geralmente tem sucesso em manter as pessoas na ignorância.
Datas na ordem dos biliões de anos para o universo e para a vida são necessárias para que se possa aceitar a teoria da evolução das espécies, apenas uns milhares e mesmo poucos milhões não são compatíveis com o evolucionismo e é por isso que os evolucionistas fazem questão de nem querer ver as evidências que apontam para o contrário de suas crenças.

Para agravar o problema o sistema secularista e a teoria da evolução são leccionadas no sistema de ensino como uma certeza, apesar de como o nome indica ser apenas uma TEORIA, teoria essa que tem mais buracos que um queijo suíço, mas como não interessa questionar - pois as implicações seriam tremendas - uma grande parte da humanidade simplesmente enterra a cabeça na areia e não quer enxergar a verdade!
Neste artigo daremos algumas evidências que não têm explicação por parte da ciência secular evolucionista para justificar como este mundo tem os biliões de anos de existência que eles dizem ter e muito menos de vida a existir no mesmo (nessa ordem de grandeza temporal). Veja as referências para maior detalhe científico.
 

1-Não Há Sal Suficiente Nos Oceanos (1)

Cada ano, os rios e outras fontes depositam mais de 450 milhões de toneladas de sódio nos oceanos. Apenas 27% deste sódio é devolvido à fonte de origem cada ano. O restante simplesmente acumula no oceano. Se o mar não tivesse sódio no princípio, de acordo com os índices presentes, levaria uns 42 milhões de anos para acumular aquilo que ele tem hoje. No entanto, a teoria evolucionista afirma que os oceanos existem há mais de 3 bilhões de anos. Cálculos para outros elementos de água salgada dão idades mais recentes ainda!
 

2. O Campo Magnético da Terra Está Decaindo Muito Rápido (1)

A resistência eléctrica do núcleo da Terra gasta a corrente eléctrica que produz o campo magnético do nosso planeta, assim o campo perde energia rapidamente.
A energia total retida no campo magnético da Terra está a decrescer com uma meia-vida de 1465 (± 165) anos. As teorias evolutivas que tentam explicar este rápido decréscimo – bem como a Terra pode manter o seu campo magnético durante milhares de milhões de anos são muito complexas e inadequadas.
Uma melhor explicação criacionista está disponível; a mesma é directa, baseada em argumentos físicos sólidos e explica muitas das características do campo: a sua criação, as suas rápidas reversões durante o dilúvio de Noé, o decréscimo e acréscimo da intensidade superficial até ao tempo do Senhor Jesus, e a queda regular desde então.
Esta teoria está de acordo com os dados paleo-magnéticos e históricos disponíveis (especialmente com as evidências de alterações rápidas).
A conclusão principal é a de que a energia total do campo (e não a intensidade superficial) tem sempre decaído pelo menos tão rapidamente como agora. A esta taxa, o campo não pode ter mais do que 20,000 anos.
 

3.Material Biológico Decai Muito Rápido (1) (2)

Radioactividade natural, mutações e decaimento denigrem o DNA e outros materiais biológicos muito depressa. Medidas do índice de mutação do DNA mitocondrial forçaram os pesquisadores a revisar a idade da Eva Mitocondrial (a hipótese de que todos humanos modernos podem ser traçados a uma só mulher) de um teórico 200,000 anos para possivelmente 6,000 anos.

Especialistas insistem que os fios do DNA não podem existir num ambiente natural por mais de 10,000 anos, mesmo assim fios intactos do DNA foram descobertos em fósseis, alegadamente mais antigos. Por exemplo, foram descobertos fios do DNA em ossos do homem de Neandertal e até de dinossauros. Uma bactéria, alegadamente com 250 milhões de anos de idade, aparentemente foi reavivada sem nenhum dano ao DNA.
 

4.Muito Hélio Nos Minerais (1)

Urânio e tório geram hélio através do decaimento radioactivo nas rochas. Segundo os geólogos, o hélio presente nestas rochas (que supostamente tem biliões de anos) não teve tempo de escapar para a atmosfera. No entanto, segundo novas medidas do índice do escapamento do hélio nestas rochas (e.g. cristais de zircónio) mostram que o hélio tem afluído por apenas 6,000 (±2000) anos.

 

5. A História É Muito Curta (1)

De acordo com os evolucionistas o homem (homo sapiens) tem existido por 190,000 anos antes que ele começasse a deixar registos escritos cerca de 4,000 a  5,000 anos atrás. Então o homem pré-histórico construiu monumentos megalíticos, desenhou belas pinturas nas cavernas e manteve as fases da lua mas aguardou 2 mil séculos antes que ele pudesse desenvolver a habilidade para registrar a história? É necessário ter menos fé para preferir o relato Bíblico.
 

6. A População É Muito Pequena (1)

Hoje a população cresce numa taxa de 2-3% ao ano. Se os primeiros humanos (homo) viveram há mais de 1 milhão de anos atrás, ainda que nós diminuíssemos a taxa para 0,5% ao ano, hoje nós teríamos 1,15 x 102166 de pessoas (basicamente o número dez seguido de 2100 zeros!). Certamente muitos biliões de pessoas viveram e morreram desde a emergência de nossa espécie. A questão que nos resta é: Onde é que estão os ossos destes zilhões de pessoas?
 

7. A Lua Está Se Afastando (1)

A lua está se afastando da terra num índice de 4 cm por ano. Assumindo que este índice não sofreu nenhuma alteração, ela teria começado a se afastar da terra e ter chegado a sua posição atual em 1.37 biliões de anos. Esta data é recente demais para a evolução e muito mais recente para as datas radiométricas designadas para as rochas da lua.

 

8. Tecidos moles em ossos de dinossauros (3)

Glóbulos vermelhos e hemoglobina foram encontrados (não-fossilizados!) dentro de ossos de dinossauro. Estes nunca poderiam durar mais do que alguns milhares de anos – certamente nunca os 65 milhões de anos defendidos pelos evolucionistas como a data em que o último dinossauro desapareceu da Terra. As explicações dos evolucionistas têm sido completamente sem sentido e não têm possibilidade de ser comprovadas cientificamente.

 

9.Carbono 14 em fósseis e diamantes (4)

Este é um dos maiores dilemas evolucionistas e a prova como os métodos de datação quando devidamente aplicados destroem por completo a teoria da evolução em vez de a confirmar.

Se o radiocarbono dura apenas poucos milhares de anos como é que ele pode ser encontrado em diamantes que segundo os evolucionistas têm biliões de anos? Para um correto entendimento sugerimos a leitura do ponto nas referências.

 

10. Paradoxo do sol fraco (5)

O paradoxo do jovem Sol fraco descreve a contradição aparente entre observações de água líquida no início da história da Terra, e a predição astrofísica de que o brilho do Sol na época era de apenas 70% em relação ao presente, insuficiente para manter água no estado líquido em condições terrestres do presente. Este problema foi mencionado por Carl Sagan e George Mullen em 1972. Qualquer solução para este paradoxo é mera teoria que jamais pode ser comprovada…

 

E haveria mais mais pontos e alguns podem ser consultados nas referências, mas para amostra estes chegam.
Já agora gostaria de dizer que a ciência secular tem tentado inventar soluções para estes dilemas mas NENHUMA teve aceitação e consenso no meio científico, trazendo mais perguntas que respostas. Na verdade para estas coisas eles jamais terão resposta enquanto não aceitarem que o universo foi criado e que não foi uma explosão caótica que veio do nada que gerou a ordem e a vida consciente.
Na próxima parte analisaremos como a idade proposta para o universo (aproximadamente 14 biliões de anos) está também longe de ser consensual, abordaremos conceitos como a velocidade da luz e a distancia das galáxias, entre outros conceitos de grande interesse expondo os paradoxos das crenças evolucionistas.
Continua…

 

Referências:

(1) 14 fenómenos naturais que contradizem os mitológicos “milhões de anos”
https://darwinismo.wordpress.com/2011/09/03/14-fenomenos-naturais-que-contradizem-os-mitologicos-milhoes-de-anos/
 
(2) Afinal quando surgiu o homo sapiens? As (cada vez mais) contradições do evolucionismo e o desafio das novas descobertas arqueológicas
http://www.nunes3373.com/news/afinal-quando-surgiu-o-homo-sapiens-as-%28cada-vez-mais%29-contradi%c3%a7%c3%b5es-do-evolucionismo/
O decaimento do ADN refuta ou confirma a teoria da evolução?
genesiscontradarwin.blogspot.pt/2012/11/o-decaimento-do-adn-refuta-ou-confirma.html
“Evidências confirmam existência de Adão e Eva”, diz geneticista 
http://noticias.gospelprime.com.br/evidencias-existencia-adao-e-eva/
 
(3) Paleobiologia e o enigma das descobertas de tecidos moles
http://www.criacionismo.com.br/2015/07/paleobiologia-e-o-enigma-das.html
Descoberta científica coloca em causa os mitológicos “milhões de anos”
https://darwinismo.wordpress.com/2014/09/04/descoberta-cientifica-coloca-em-causa-os-mitologicos-milhoes-de-anos/
 
(4) Testes de radiocarbono 14 destroem Teoria da Evolução
http://www.nunes3373.com/news/testes-de-radio-carbono-14-destroem-teoria-da-evolu%c3%a7%c3%a3o/
 
(5)Paradoxo do jovem Sol fraco
https://pt.wikipedia.org/wiki/Paradoxo_do_jovem_Sol_fraco