Jesus VS Religiões - As diferenças irreconciliáveis - HINDUÍSMO

20-01-2015 18:37
                                  
Veja também:
 Jesus VS Religiões - Quais as diferenças irreconciliáveis? - JUDAÍSMO (act.) 
http://www.nunes3373.com/news/cristianismo-vs-religi%c3%b5es-quais-as-diferen%c3%a7as-irreconciliaveis-judaismo/
Jesus VS Religiões - As diferenças irreconciliáveis - ISLAMISMO
http://www.nunes3373.com/news/jesus-vs-religi%c3%b5es-as-diferen%c3%a7as-islamismo/

 

 
Agora que já estudamos as duas religiões abraâmicas, avancemos então para as orientais, sendo a mais antiga delas a primeira a analisar:

Hinduísmo

O hinduísmo é uma das religiões mais antigas, alguns dos seus manuscritos sagrados são de 1400 a 1500 A.C. Também é uma das religiões mais diversas e complexas, possuindo milhões de deuses.
Os hindus possuem uma grande variedade de crenças básicas e contêm muitas seitas diferentes. Apesar de ser a terceira maior religião do mundo, o hinduísmo existe primeiramente na Índia, Nepal e em menor escala em alguns países ao redor.
Os textos principais e mais famosos do hinduísmo são os Vedas, mas existem outros.
Apesar de o hinduísmo ser conhecido como uma religião politeísta, com cerca de 330 milhões de deuses, também tem um "deus" que é supremo: Brahma.
Por incrível que pareça o hinduísmo é um sistema tão diversificado de pensamento, que abrange múltiplas crenças totalmente distintas e contraditórias entre si e que abrangem o monoteísmo, politeísmo, panteísmo, e até mesmo o ateísmo.
O seu conceito de Deus é complexo, estando vinculado a cada uma das suas tradições e filosofias.
O sistema teológico do hinduísmo e suas diversas vertentes é tão vasto, complexo e contraditório que a sua total compreensão é muito difícil, saindo do âmbito deste artigo. Como sempre nas referências mais informação para os corajosos interessados em saber mais sobre esta religião (1).
 

Os vedas

Os Vedas são mais do que simples livros de teologia. Eles contêm uma rica e colorida "theo-mitologia", quer dizer, uma mitologia religiosa que deliberadamente se mistura com mitos, teologia e história para atingir uma base em forma de histórias. Essa "theo-mitologia" é tão bem fixada à história e cultura da Índia, que rejeitar os Vedas pode ser encarado como rejeitar a Índia.
Portanto, um sistema de crença é rejeitado pelo hinduísmo se não adotar a cultura indiana de uma forma ou outra. Se aceitar a cultura indiana e sua história theo-lendária, então pode ser enxergado como "hindu", mesmo se sua teologia for teísta, niilista, ateísta ou outra.
Essa aceitação simultânea de tantas contradições pode ser uma grande dor de cabeça para as pessoas ocidentais que tentam achar consistência lógica e defesa racional nas opiniões religiosas do hinduísmo.
 

A crença Hindu sobre a criação da humanidade

 
Segundo o hinduísmo, Brahma é o deus criador de todo o universo e de todas as divindades individuais e por ele, todas serão absorvidas. Ele se transformou em várias coisas, sem nenhuma ajuda externa e criou a alma humana que, de acordo com os Vedas, constitui uma parte do poder supremo, como uma fagulha pertence ao fogo.
Brahma, quando da criação do mundo, resolveu dar à Terra habitantes que fossem criados da sua própria emanação. Porque Brahma é tudo, o hinduísmo acredita que todos são divinos. O Atman, ou cada ser, é um com Brahma. Toda realidade fora do Brahma é considerada uma simples ilusão. O objetivo espiritual de um hindu é se tornar um com o Brahma, deixando então de existir em sua forma ilusória de "ser individual". Essa liberdade é conhecida como “moksha”. Até o estado “moksha” ser alcançado, o hindu acredita que essa pessoa vai continuar reencarnando para que possa trabalhar em se tornar a auto-realização da verdade (a verdade de que apenas Brahma existe, nada mais). A forma em que cada pessoa reencarna é determinada pelo carma, o qual é um princípio de causa e efeito governado pelo equilíbrio da natureza. O que uma pessoa fez no passado afeta e corresponde com o que acontece no futuro, incluindo o passado e futuro de diferentes vidas.
Para sair do ciclo reencarnatório os hindus a vêm a “salvação” como resultado de suas boas obras, conhecimento ou devoção. Para os hindus as aptidões e atividades humanas decidem a salvação, ela não provem de Deus.
 

As diferenças irreconciliáveis

 
Apesar de esse ser um simples resumo, é fácil ver que o hinduísmo se opõe ao cristianismo bíblico em quase todas as áreas do seu sistema de crença
O Cristianismo tem um só Deus que é pessoal e conhecível, um só livro conhecido como a Bíblia, ensina que Deus criou a terra e tudo que nela existe, acredita que o homem foi criado à imagem de Deus e caiu de seu estado perfeito (no qual foi concebido no mundo espiritual) pelo seu próprio pecado (2), vive uma vida que no seu final estará sujeita ao juízo e ensina que a salvação é somente através do arrependimento (do pecado) e da crença em Jesus Cristo (Deus encarnado). Jesus por seu amor e sofrimento, resgata o homem do mundo da ilusão e da morte.
Os hindus adotam muitos deuses e muitos senhores e têm a opção de escolher uma divindade favorita, também mantêm a doutrina da omnipresença em seu sentido último – isto é, deuses existem em toda parte, lá e aqui.
Filosoficamente, os hindus se dão ao luxo de adorar deuses diferentes para propósitos diferentes, ocasiões diferentes e por pessoas diferentes. Essa doutrina da multiplicidade de deuses jaz à raiz da tolerância e acomodação, que é parte integral da filosofia e cultura hindus.
 

O conceito das origens.

Você sabia que a suástica é um símbolo hindu? Saiba a verdadeira inspiração desta religião em (3).

 
O pensamento hindu sustenta a posição da evolução. Contudo, os cristãos que aceitam o relato de Génesis como histórico e verdadeiro só podem rejeitar a evolução como uma opção na compreensão das origens. A Bíblia inequivocamente sugere que pela palavra do Senhor foram feitos os “céus”. Ademais, enquanto a aceitação hindu da evolução confunde Deus e a natureza (panteísmo, portanto), a negação cristã da evolução e a afirmação da Criação tornam Deus e a natureza ontologicamente separados. Consequentemente, Deus para um cristão está acima da natureza e em posição de julgamento.
 

E tendo em conta tudo isto vamos analisar a questão sobre a criação, a vida, a morte, reencarnação e carma.

O conceito de queda espiritual do ser humano não existe no hinduísmo, o seu sistema de crença de criação do homem, sua vida, morte, carma e reencarnação até atingir o moksha pode parecer até fazer sentido para alguns, mas se analisarmos bem, faz desse suposto deus criador do hinduísmo alguém completamente sádico, impessoal e cruel que obriga as suas criaturas a aprender pelo sofrimento, ainda que estas não o mereçam. Ele não aparece, não se revela e faz com que suas novas criaturas aprendam pela morte e pelo sofrimento o que está certo e o que está errado.
O cristianismo rejeita esse conceito de Deus, segundo o cristianismo tudo foi criado perfeito por Deus, assim como o homem, mas este por sua desobediência caiu para a morte, necessitando ser salvo para retornar à luz onde foi criado, essa salvação só pode ser atingida pelo arrependimento que por si só leva a um comportamento diferente, o assumir-se pecador e aceitar Jesus, o único que expôs esta dura realidade.
Saiba mais sobre a queda espiritual do homem em (2).
 
Para o cristão o homem nasce já maculado pelo pecado, vive, morre e depois, no mundo espiritual, é julgado pelos seus atos. O que acontece depois no seu juízo: salvação, inferno ou mesmo uma hipotética reencarnação só compete a Deus e ao justo julgamento, sendo assim mais do que um conceito de “carma” existe o conceito de justiça e misericórdia.
O problema de aceitar o sistema hindu de carma e reencarnação (que é muito semelhante ao budista e espirita) além de afastar o humano de acreditar que necessita ser salvo do seu próprio pecado (que só é revelado por Jesus), tende a causar um sentimento de acomodação e relaxação no individuo relativamente a esse mesmo pecado, ou seja: muitos poderão pensar que para seu bel-prazer material preferem pecar agora e depois corrigem noutra encarnação. Mas pensar assim é muito perigoso (e até falso segundo a Bíblia), pois pode conduzir a criatura à escravidão eterna. Mais sobre este assunto e da possibilidade de reencarnação segundo a Bíblia em (4).

 O Yoga é segundo o hinduísmo uma forma de se atingir o estado iluminado, mas na verdade essa prática esconde inúmeros perigos, saiba mais em (5).

 
A lei do karma dá ao fatalismo um papel cruel no dogma hindu.
Fatalismo é a crença em que seu destino foi predeterminado por um poder mais alto que você. Os hindus atribuem experiências negativas ou realizações positivas à fatalidade.
Assim a vida é programada, determinada e vivida muito antes de você nascer. Esse fatalismo nega qualquer liberdade na obtenção da salvação. O conceito cristão de liberdade não pode ser explicado ou descrito filosoficamente. Essa liberdade tem de ser experimentada. É liberdade do pecado. Não é liberdade para imergir no divino, mas liberdade para ser libertado do poder escravizador do pecado, a fim de viver em paz com Deus e com o próximo.
 

O hinduísmo e a religião da Nova Ordem Mundial

E como se situarão os Hindus na religião New Age (Nova Era)?
Na verdade as religiões orientais são a grande base das crenças New Age, e no caso do hinduísmo as semelhanças são muitas, sendo assim não será difícil os hindus acreditarem numa futura religião única a ser criada pós–caos (que inicialmente será criado pelas elites satânicas), que como sabemos é fundamental para que esta nova religião possa emergir.
E no caso do nosso candidato a líder da Nova Ordem os mídia até já andam a facilitar o caminho:
ADN revela que príncipe William tem "sangue indiano"
http://www.dn.pt/inicio/pessoas/interior.aspx?content_id=3269718&seccao=ntv
Sei…
 

Conclusão

Jesus, o conceito de pecado e a necessidade de arrependimento não existem no hinduísmo. 
Segundo o hinduísmo tudo foi criado assim, tudo são experiências e talvez um dia depois de muitos erros se chegue à iluminação.
Mas pensar assim é muito perigoso para o homem, tornando-se essa crença uma verdadeira armadilha espiritual perpétua. O problema é que muitas dessas "experiências" podem ser pecado, e o salário do pecado é a morte!
Na verdade devido às múltiplas crenças do hinduísmo esta religião, tal como o budismo, tem tendência a ser a religião do:
"- Existem vários caminhos para Deus."
Mas segundo o cristão só existe um:
O do arrependimento (que leva a uma mudança de comportamento) e a aceitação de Jesus, o Salvador!
 
Próxima religião: O Budismo, continua…
 
"Entrem pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela.
Como é estreita a porta, e apertado o caminho que leva à vida! São poucos os que a encontram".

Mateus 7:13-14
 
Fontes e Referências:
(1) Pergunta: "O que é o Hinduísmo e em que os hindus acreditam?"
http://www.gotquestions.org/Portugues/Hinduismo.html
COMPREENDENDO O HINDUÍSMO
http://www.evangelismojovem.com.br/portal/wp-content/uploads/arquivos-08-10/Compreendendo%20o%20Hindu%C3%ADsmo.pdf
 
(2) A VERDADE
http://www.nunes3373.com/news/a-verdade/
 
(3) Alienígenas Hiperdimensionais e o Sol Negro (Parte 3) - O Sol Negro
http://www.nunes3373.com/news/alienigenas-hiperdimensionais-e-o-sol-negro-parte-3-o-sol-negro/
 
(4) Porque existe a doença, a deficiência e o sofrimento – É a reencarnação possível à luz da Bíblia? (act.)
http://www.nunes3373eb.com/news/porque-existe-a-doen%c3%a7a%2c-a-defici%c3%aancia-e-o-sofrimento-%e2%80%93-e-a-reencarna%c3%a7%c3%a3o-possivel-%c3%a0-luz-da-biblia-/
 
(5) Os perigos do Yoga. A meditação cristã VS a meditação esotérica. (apontamento sobre Reiki)
http://www.nunes3373.com/news/os-perigos-do-yoga-a-medita%c3%a7%c3%a3o-crist%c3%a3-vs-a-medita%c3%a7%c3%a3o-esoterica-/